fbpx

Registro de Patente

6 dicas para sua empresa se dar bem na Black Friday

Uma das datas mais importantes para o comércio brasileiro, atrás apenas do Natal, esse ano a Black Friday acontece no dia 29 de novembro. Porém, muitos varejistas aproveitam e iniciam as promoções já no começo do mês. De acordo com dados do site blackfriday.com.br “a previsão para 2019 é de termos mais um recorde em vendas, com um crescimento de 21% em relação a 2018, gerando um faturamento que ultrapassará a casa de R$ 3,1 bilhões de reais.” Por conta disso, participar dessa data sazonal não é apenas uma opção, mas uma obrigação para os comércios que querem aumentar seus lucros. Para que sua participação na Black Friday seja um sucesso, separamos algumas dicas essenciais. Confira! 1 – Faça uma boa divulgação da Black Friday Para que seu público saiba que você está participando da Black Friday é muito importante que seu comércio seja divulgado nas redes sociais e também por meio de e-mail marketing, anúncios pagos, propagandas, entre outros meios. Fale sobre suas promoções e os descontos disponíveis para atrair o interesse em seu serviço ou produto. 2 - Descontos reais O Procon - Departamento Estadual de Proteção e Defesa ao Consumidor, está cada vez mais ligado nas falsas promoções que enganam o consumidor. Por isso, cuidado com aqueles famosos descontos que são “metade do dobro do preço”. Faça uma pesquisa na concorrência e tente se enquadrar nos preços do mercado. 3 - Equipe preparada para a Black Friday Deixe sua equipe instruída a respeito das promoções que serão praticadas no seu comércio. No caso de lojas físicas, o cuidado com o atendimento ao cliente deve ser redobrado, pois com a lotação nas lojas, muitos clientes acabam passando despercebidos e não recebendo a atenção que mereciam. 4 - Atenção ao estoque Independentemente se a loja for física ou virtual, é necessário fazer uma análise da quantidade do item disponível. Verifique com seus fornecedores se eles têm capacidade de realizar a entrega do produto nos prazos prometidos ao consumidor. 5 - Concorrência desleal A concorrência desleal é um crime que está previsto na lei de propriedade industrial e é muito comum durante a Black Friday. De acordo com essa lei, comete esse crime quem publica falsa informação do concorrente com o objetivo de ter vantagem, quem faz uso de expressões e propagandas com o intuito de induzir o consumidor ao erro, entre outros. 6 - Por dentro da Lei do Consumidor Compras feitas de forma online garantem ao consumidor o prazo de sete dias corridos para efetuar a troca ou solicitar a devolução do dinheiro, por qualquer motivo e sem justificativa. Na loja física, a troca é efetuada mediante defeito de fabricação, porém, cada loja poderá ter sua própria política sobre isso. Conclusão: Seguindo as dicas acima, zelando pelo bom atendimento e lançando mão de boas estratégias de marketing, sua empresa só terá a ganhar com a Black Friday. E para garantir que, acima de tudo, sua empresa não sofra com a concorrência desleal, garanta já o registro da [...]

Natura ganha Patente Verde do INPI

A Natura, empresa de cosméticos brasileira, é a primeira do segmento a receber a Patente Verde do Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI). O prêmio veio graças ao desenvolvimento de uma biomassa gerada a partir de óleos extraídos de oleaginosas da Amazônia. A matéria-prima será utilizada em novo produto que será lançado em 2020. O registro de patente garante a exclusividade da invenção nos primeiros anos de uso comercial. Mas em que consiste a Patente Verde? A Patente Verde é um programa do INPI, iniciado em 2012, que acelera os processos de registro de tecnologias que estejam voltadas ao meio ambiente. Ainda de acordo com o Instituto, o programa contempla tecnologias para energia alternativa, transporte, conservação de energia, gerenciamento de resíduos e agricultura. Veja a lista completa. Por que fazer o registro? Com o registro de patente, fica assegurado ao titular o direito de uso exclusivo sobre a matéria reivindicada, pelo período de 15 ou 20 anos, em todo o território nacional e/ou nos países solicitados. Dessa forma, o titular poderá impedir a cópia – total ou parcial, a reprodução indevida por terceiros desautorizados, possíveis plágios e pirataria, bem como combater a concorrência desleal. Além disso, por configurar efetivamente um bem de natureza econômica, a patente permite ao titular lucrar nas mais variadas transações, como por exemplo, vender, licenciar, transferir ou elevar suas vendas. O registro de patente também possibilita a abertura de novos mercados por meio de parcerias comerciais. A Direção Marcas e Patentes oferece todo o acompanhamento necessário para a realização desse processo, com total sigilo e segurança. Gostou do artigo? Entre em contato conosco para fazer um diagnóstico gratuito do seu pedido: 0800 728 7707.

Brasil já ultrapassa o número de 12 mil startups

Cada vez mais o Brasil se destaca pela quantidade de abertura de startups – empreendimentos que se diferenciam por buscarem um negócio que seja inovador. Até o último levantamento, realizado pela Associação Brasileira de Startups (Abstartups), já são 12.727, um aumento de mais de 200% desde 2015, quando ainda existiam apenas 4.151. Ainda de acordo com a Abstartups, a maior parte das empresas estão no estado de São Paulo (3.744), Minas Gerais (1080), Rio Grande do Sul (914) e Rio de Janeiro (844). O número pode ser muito maior, levando em consideração que estas são apenas as que estão cadastradas na base de dados da Abstartups. Mas você sabe exatamente o que são as startups? Confira no decorrer deste artigo! O que são as startups Qualquer empresa que esteja em seu período inicial e tenha grande potencial de crescimento rápido, pode ser considerada uma startup. Essas empresas buscam um modelo de negócios inovador e têm espírito empreendedor. Startups unicórnio Como uma das principais características é a inovação, elas trazem soluções tecnológicas e novidades para seu público-alvo. Por esse motivo, algumas alcançam investimentos bilionários que geram para elas um valor de mercado bilionário. São essas startups que são consideradas unicórnio: valem mais de um bilhão de dólares. Algumas startups brasileiras já figuram entre as consideradas unicórnios, veja abaixo a lista com algumas delas: NuBank – Cartão de crédito e conta digital. Fundada em 2013, tem valor de mercado de 4 bilhões de dólares. 99 – Aplicativo de carros particulares e táxis. Fundada em 2012, tem valor de mercado de mais de 1 bilhão de dólares e é a primeira unicórnio brasileira. Ifood – Aplicativo para pedidos de comida em restaurantes. Fundada em 2011, tem valor de mercado de 2 bilhões de dólares. Gympass – Sistema de assinatura de academias. Fundada em 2012, tem valor de mercado de 1 bilhão de dólares. Loggi – Aplicativo de moto frete. Fundada em 2013, tem valor de mercado de 1 bilhão de dólares. Registro da propriedade intelectual junto ao INPI Levando em consideração que as startups trazem inovação, para garantir que a ideia tenha exclusividade é fundamental que seja realizado o registro da propriedade intelectual junto ao Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI). Para que a empresa torne-se um negócio de sucesso, é necessário que sejam seguidos alguns passos para garantir a segurança jurídica da marca e da ideia. Por isso, é importante realizar o registro da marca que se está desenvolvendo ou a patente do produto que está sendo criado, como também softwares, aplicativos, entre outros. A Direção Marcas e Patentes protege seu patrimônio industrial e intelectual de forma prática e segura, realizando o registro da marca no INPI. São mais de 14.000 processos de pessoas físicas e jurídicas, e mais de 7.000 empresas assessoradas de diversos segmentos. Fale com um de nossos consultores e tire todas as suas dúvidas: 0800-728-7707.

Concorrência desleal: o que é e quais os principais tipos

A concorrência desleal é a prática ilícita de meios para conseguir atrair mais clientes. Mas como saber se está agindo de forma ilegal ou não? A livre concorrência permite que as empresas concorram entre si de maneira correta e honesta, e está prevista na Constituição Federal. Ou seja, no Brasil, dentro da legalidade, os empresários são livres para buscar seu desenvolvimento. Neste artigo, vamos falar sobre o que é considerado ilegal dentro dos princípios da concorrência. Confira! O que caracteriza a concorrência desleal? Pode parecer um pouco complexo de diferenciar quando a concorrência é leal ou desleal, pois o objetivo final é sempre o mesmo: obter mais clientes. Porém, utilizar meios fraudulentos e desonestos para desviar a clientela do concorrente, não é uma forma bem vista. O artigo 195, do Código de Propriedade Industrial - Lei 9279/96, prevê 14 tipos de crimes de concorrência desleal. Vamos citar alguns exemplos: Semelhança entre marcas: quando existe uma semelhança muito grande entre as marcas, é muito fácil provocar confusão nos seus consumidores. É muito comum empresas copiarem a parte ortográfica ou visual de uma outra marca, já consolidada, a fim de tomar sua clientela, que adquire o produto por engano decorrente da semelhança. Difamação do concorrente: parece que não, mas difamar os produtos e serviços de outras empresas, principalmente nas redes sociais, sem ter comprovação do que é dito, é considerado crime de concorrência desleal. Falsificação: utilizar a embalagem de produto de outra empresa para incluir um produto falsificado e obter ganhos com o uso indevido da marca. Pena para o crime de concorrência desleal Essa prática, além de ser criminosa, gera muitos prejuízos, para ambas as partes, pois envolve indenizações que podem chegar a valores bem altos. Além disso, para alguns casos, pode ocorrer até a pena de detenção de até um ano. Como se proteger Como vimos, não é tarefa fácil controlar todos os tipos de concorrência desleal, afinal, o Brasil possui um território amplo e milhões de empresas abertas, disputando espaço e clientela. Antes de tudo, é importante lembrar que registrar a marca junto ao Instituto Nacional da Propriedade Industrial – INPI, já traz uma grande proteção contra a concorrência, pois em caso de cópias desautorizadas é possível solicitar judicialmente que a concorrente interrompa a utilização, além de pagar indenização. Nesses casos de registro, é possível fazer um acompanhamento com uma empresa especializada, a fim de obter vigilância para a marca. A Direção Marcas e Patentes oferece consultoria completa e especializada no assunto. Fale com um de nossos consultores e tire todas as suas dúvidas. Ligue: 0800 728 7707

Quem é o dono da invenção: empresa ou empregado?

A Lei nº 9279/96, que trata da Propriedade Industrial, garante que o inventor sempre terá direito moral sobre sua invenção, desde que seja feito o registro junto ao órgão governamental. Porém, a situação pode ser diferente quando envolve uma relação de trabalho. Neste artigo vamos explicar como funciona nos casos entre empresa e empregado. Confira! Patente de invenção Antes de tudo, vale salientar que qualquer pessoa, física ou jurídica, que criar uma nova tecnologia, seja um desenho, software, fórmula, um processo de fabricação ou um aperfeiçoamento de algo já existente, pode requerer a patente para o Instituto Nacional da Propriedade Industrial – INPI. Esse registro, apesar de não ser obrigatório, é a única forma de garantir que o inventor possa explorar comercialmente e se proteger de cópias desautorizadas e concorrência desleal. As patentes têm duração de 15 ou 20 anos, dependendo do tipo. Após isso, passam a ser domínio público. Casos de ações judiciais envolvendo a disputa sobre uma invenção entre empregador e empregado não são raros de acontecer, pois ambos querem deter os direitos de exploração do invento. Porém, existem formas de garantir que fique claro para as partes quem terá os direitos sobre o invento. Contrato de trabalho deve informar No entendimento dos tribunais, quando um funcionário é contratado para realizar determinada atividade, o direito de exploração comercial sobre o invento é do empregador. Por isso, a recomendação é que no contrato de trabalho fique especificado o objetivo da contratação do funcionário e que a invenção será de posse da empresa. Assim, se o funcionário for contratado para desenvolver uma fórmula, por exemplo, a empresa pode buscar a patente do produto junto ao INPI e deter os direitos comerciais. Porém, caso o empregado seja contratado para outra função e acabe desenvolvendo o invento, a empresa só terá direito sobre ele enquanto o funcionário trabalhar para ela. Caso o funcionário saia, poderá requerer os direitos para si e o pedido de patente da empresa provavelmente será questionado pela Justiça. Aumento nos pedidos de patente De acordo com dados do INPI, o número de concessões de patentes entre 2017 e 2018 passou de 6.250 para 11.090, aumento de 77,4%. Em desenhos industriais, houve um aumento de 40,3% no número de registros, que foi de 6.220 para 8.725 Já sobre o registro de marcas, o número saltou de 123.362 em 2017 para 191.813 em 2018, representando um aumento de 55,5%. A Direção O processo de pedido de patente pode ser facilitado com a consultoria de uma empresa especializada e com tradição dentro do segmento. A Direção realizado todo o procedimento, do início ao fim, prestando a assessoria completa, com total sigilo e agilidade. Entre em contato conosco e obtenha mais informações: 0800 728 7707 Por Leila Moreti Jornalista e redatora de conteúdo na Direção Marcas e Patentes

7 invenções mais curiosas que você não conhecia

As invenções estão presentes no nosso dia a dia para facilitar a realização das diversas tarefas diárias. Porém, as ideias nunca acabam. Sempre existe algo de novo para inventar e que ninguém havia pensado antes, além do aperfeiçoamento das facilidades já existentes. Abaixo, confira 7 invenções que são muito interessantes e que, muito provavelmente, você ainda não viu por aí! 1 – Caneca com espaço para colocar biscoitos 2 – Cortador de pizza em forma de tesoura 3 - Espremedor de creme dental 4 - Janela para o seu cachorro olhar o movimento da rua 5 - Borrifador de frutas cítricas 6 - Caneca com tranca que impede que outras pessoas a utilizem 7 - Separador de clara e gema em forma de peixinho Todas essas criações precisam receber o devido registro de patente junto ao órgão competente do país, para que não sejam copiadas e reproduzidas sem autorização do titular. Parece tarefa fácil solicitar o processo de registro, porém a consultoria de uma empresa especializada é primordial para o sucesso do pedido. O primeiro critério para o sucesso do pedido é saber se a invenção se enquadra nos requisitos de patente. A seguir explicamos quais são eles. Tipos de patente No Brasil, existem dois tipos de patente. É importante ficar atento a qual deles o invento se encaixa. Patente de Invenção – PI É concedida para uma invenção totalmente nova e que solucione um problema existente, além de atender aos requisitos de aplicação industrial e atividade inventiva. A validade é de 20 anos. Patente de Modelo de Utilidade – MU Trata-se de um aperfeiçoamento industrial novo, ou seja, uma melhoria funcional na fabricação ou uso de um objeto existente. A validade é de 15 anos. Passo a passo do registro de patente A Direção Marcas e Patentes realiza todo o processo de registro, do início ao fim, – Pesquisa: antes de solicitar o pedido de registro de patente, é recomendável realizar uma busca de anterioridade, para identificar a existência de eventuais pedidos semelhantes. Caso seja algo inédito, é só dar prosseguimento ao pedido, atendendo aos 3 requisitos: Novidade, Aplicação Industrial e Atividade Inventiva. – Documentação: será solicitado o conteúdo técnico necessário, que descreva claramente o produto ou tecnologia que se deseja patentear, tais como Relatório, fotos, descrição, dentre outros. – Acompanhamento: depois da elaboração e apresentação do pedido junto ao INPI, é preciso acompanhar o pedido até o final do processo, e posteriormente, durante toda a vigência. Quer saber mais? Entre em contato conosco para fazer um diagnóstico gratuito do seu invento e faça já seu registro de patente. Por Leila Moreti Jornalista e redatora de conteúdo na Direção Marcas e Patentes

Patente: a necessidade de proteger uma nova tecnologia

Havendo o aperfeiçoamento ou a invenção de uma tecnologia tornar-se indispensável o registro da patente junto ao Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI), visando garantir ao inventor os direitos exclusivos do novo desenvolvimento tecnológico. A patente está em todas as áreas da indústria e do comércio, vestuário, medicamentos, biotecnologia, cosméticos, energia, agricultura, têxtil, medição, sensores, eletrônica, mecânica, alimentos, etc. Assim, por ser a patente um registro extremamente importante para salvaguardar a criação de uma nova tecnologia, vamos fazer algumas considerações a respeito. Importância do registro de patente Primeiramente, cabe salientar que patente é um título de propriedade temporário, concedido pelo Estado, que garante poderes ao titular para dispor de direitos industriais e comerciais exclusivos, acerca de um processo de fabricação de uma tecnologia criada ou aperfeiçoada. O instituto da patente encontra regulamentação na Lei 9279/96, pelos artigos 2º ao 93, 183 ao 186, e ainda, pelo artigo 212, além de alguns atos normativos expedidos pelo órgão competente (INPI) que regulam a matéria. Será possível requerer o registro de patente na modalidade de invenção tecnológica (Privilégio de Invenção - PI) e na modalidade de aperfeiçoamento de tecnologia (Modelo de Utilidade - MU). Conforme a lei de patentes, é patenteável a invenção que atenda aos requisitos de novidade, atividade inventiva e aplicação industrial. No que diz respeito ao modelo de utilidade, é patenteável o objeto de uso prático, ou parte deste, suscetível de aplicação industrial, que apresente nova forma ou disposição, envolvendo ato inventivo, que resulte em melhoria funcional no seu uso ou em sua fabricação. Portanto, tanto na patente de invenção quanto na de modelo de utilidade, a tecnologia que será pleiteada o registro de patente deverá atender aos requisitos legais, sob pena do pedido ser negado pelo órgão competente. Requisitos para patente de invenção Novidade: o que não é compreendido pelo estado da técnica, ou seja, o que não foi tornado acessível ao público antes da data do depósito. Atividade inventiva: o que não decorra de maneira evidente ou óbvia do estado da técnica para um técnico no assunto. Aplicação industrial: o que possa ser utilizado ou produzido pela indústria. Requisitos para patente de modelo de utilidade Novidade: assim como na patente de invenção, é o que não é compreendido pelo estado da técnica, ou seja, o que não foi tornado acessível ao público antes da data do depósito. Ato inventivo: o que não decorra de maneira comum ou vulgar do estado da técnica para um técnico no assunto e que resulte em melhoria funcional no seu uso ou em sua fabricação. Aplicação industrial: também vale a mesma regra da patente de invenção. Sendo o registro de patente requerido junto ao órgão competente, o processo seguirá o curso administrativo, nele se submeterá a um exame de mérito, ao qual decidirá pelo seu deferimento ou indeferimento. Nessa ocasião, o órgão verificará se há emprego de nova tecnologia merecedora de registro de patente, bem como, o preenchimento dos requisitos de novidade, atividade ou ato inventivo e aplicação industrial. O registro de [...]

Brasileira vence Prêmio Jovens Campeões da Terra, da ONU

A brasileira Ana Luisa Beserra, 21 anos, estudante de biotecnologia, venceu o Prêmio Jovens Campeões da Terra, da ONU Meio Ambiente, concedido para jovens entre 18 e 30 anos com iniciativas inovadores em prol do meio ambiente. A premiação veio graças ao dispositivo Aqualuz, que serve para transformar água suja em potável, uma alternativa de filtragem de baixo custo e ação rápida. Por enquanto, o invento foi testado apenas no Brasil, mas já forneceu água tratada para 265 pessoas, mas a previsão, para este ano, é aumentar para 700. Anna Luisa foi uma das sete vencedoras entre os continentes – África, América do Norte, América Latina e Caribe, Ásia e Pacífico, Europa e Ásia Ocidental e receberá o prêmio no dia 26 de setembro, com os demais vencedores, na Cerimônia dos Campeões da Terra, cidade de Nova Iorque (EUA), juntamente com a  Assembleia Geral das Nações Unidas e a Cúpula de Ação Climática, realizada anualmente. Aqualuz. Foto: divulgação Como funciona o Aqualuz O dispositivo funciona por meio da radiação solar, que filtra e trata a água da chuva coletada dentro de cisternas, localizadas em zonas rurais. O Aqualuz tem durabilidade de até 20 anos, é de fácil manutenção e baixo custo para produção. “Meu propósito é levar o direito básico à água limpa para as comunidades carentes nas áreas rurais. Queremos ajudar a melhorar a vida das pessoas e salvar vidas”, afirma Ana em entrevista para o portal Nações Unidas Brasil. Acesso à água potável De acordo com dados da Organização das Nações Unidas (ONU) cerca de 1,1 bilhão de pessoas em todo o mundo não têm acesso à água potável. Um total de 26 países sofrem escassez crônica de água e a previsão é de que em 2025 serão 3,5 bilhões de pessoas em 52 países nessa situação. No Brasil, um estudo do Instituto Trata Brasil, referente a 208, mostra que 35 milhões de brasileiros não são abastecidos com água potável e 48% da população não tem o esgoto coletado. Registro de patente Invenções como essa, mostram a importância de fazer o registro perante o órgão federal, a fim de garantir que não ocorram cópias desautorizadas e que o titular perca o mérito da criação. Solicitar o registro de patente junto ao Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI), para o desenvolvimento de uma nova tecnologia, processos industriais ou a criação de um novo produto – seja uma invenção ou melhoria, é a única forma para proteger os direitos de propriedade industrial do inventor, assim como seus interesses econômicos, tecnológicos e comerciais, por isso é tão importante. A Direção oferece todo o acompanhamento necessário para a realização desse processo nos dois tipos de patentes existentes, tanto no Privilégio de Invenção (PI), como no Modelo de Utilidade (MU). Gostou do artigo? Entre em contato conosco para fazer um diagnóstico gratuito do seu pedido. Fontes: agenciabrasil.ebc.com.br ana.gov.br oeco.org.br nacoesunidas.org

Conheça o passo a passo para fazer o registro de marca e patente

O registro de marca é um procedimento indispensável para garantir a propriedade e os direitos de sua empresa, a fim de  protegê-la de copiadores mal-intencionados e da concorrência desleal. Somente com essa proteção é possível usufruir de todos os benefícios que ela pode trazer para seu titular. Para garantir a exclusividade da marca é necessário o registro perante o Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI). Instituto Nacional da Propriedade Industrial O registro de uma marca é concedido pelo órgão governamental INPI e o pedido deve ser realizado conforme diversos critérios técnicos e conceituais exigidos para tanto. Após a conclusão do pedido de registro de uma marca, se faz necessário o acompanhamento e verificação dos prazos legais. Para que possua o direito de titularidade da marca, é preciso que o Certificado de Registro seja expedido pelo INPI. Consultoria especializada A Direção Marcas e Patentes assegura todo o acompanhamento necessário durante este processo. Confira algumas etapas de nossos serviços: 1 – Verificação Verificamos se a marca escolhida está de acordo com todos os requerimentos legais de registro; 2 – Consulta de marca Realizamos, sem qualquer custo, a busca no órgão competente para verificar a existência de marcas idênticas ou semelhantes; 3 – Documentação Avaliamos qual a documentação necessária para iniciar o processo; 4 – Cadastro Realizamos todos os cadastros necessários e exigidos; 5 – Acompanhamento Acompanhamos todo o processo junto ao órgão competente, monitorando e atualizando você acerca de seu pedido; 6 – Consultoria Resolvemos questões legais quando necessário; A Direção No mercado há mais de 18 anos, nosso propósito é facilitar o processo de registro de marcas e patentes, com sigilo e máxima qualidade aos nossos clientes. Temos mais de 14 mil processos de registro de marcas, patentes, desenhos industriais, direitos autorais, registro de softwares, contratos e suas averbações, licenciamentos, franquias, transferência de tecnologia, incluindo todas ações administrativas e judiciais que envolvem a área da Propriedade Intelectual. Solicite seu orçamento e faça parte do grupo dos nossos clientes satisfeitos. Ligue: 0800 728 7707.

Invenções brasileiras mais famosas no mundo

O Brasil é um país que possui diversas invenções famosas no mundo todo. Porém, nem sempre seus respectivos inventores levam o crédito por suas criações. Dentre as invenções brasileiras famosas está o avião, que até hoje gera algumas controvérsias entre quem são seus reais inventores: O brasileiro Alberto Santos Dumont ou os irmãos norte-americanos Orville e Wilbur Wright. Além dessa, o país conta com inúmeros outros inventos. Ficou curioso (a)? Confira algumas dessas invenções brasileiras que são sucesso no mundo todo! Câmbio automático O câmbio automático tem se tornado cada vez mais a escolha do brasileiro na hora de comprar um carro. O que muitos não sabem é que a ideia nasceu aqui, criado pelo engenheiro mecânico José Braz Araripe, em 1932. A invenção foi vendida para a General Motors, que em 1938, produziu o primeiro câmbio hidramático. Identificador de chamadas Em 1980, o eletrotécnico Nélio José Nicolai, criou um equipamento, o Bina, que mostrava o número que estava efetuando a ligação. Rapidamente a invenção se espalhou pelo mundo. O nome Bina é a sigla com significado de B Identifica Número A.   Máquina de escrever A máquina de escrever foi mais uma ideia que partiu de um padre brasileiro, João Francisco de Azevedo. O objetivo era adaptar um piano de 24 teclas para que ele pudesse imprimir letras em um papel. Azevedo apresentou a ideia a um negociante que afirmou ter possíveis interessados em fabricá-la nos Estados Unidos, porém nunca mais teve notícias. Anos depois, um modelo quase idêntico foi apresentado nos EUA por Christofer Sholes, e comprado pela empresa Remington, que iniciou a produção em escala.   Rádio Dentre as invenções brasileiras mais famosas no mundo, o padre católico Roberto Landell de Moura foi o pioneiro na transmissão de voz humana sem fio, em 1899, o famoso rádio. Landell requereu e conseguiu a patente, para o desenvolvimento de um equipamento para realizar transmissão de voz à distância, com ou sem o uso de fio.   Relógio de pulso O relógio de pulso foi mais uma invenção de Alberto Santos Dumont, que surgiu em consequência do invento do avião. Dumont sentiu necessidade de cronometrar o tempo de forma mais prática durante seus testes de voos. Como, naquela época, os relógios eram de carregar no bolso, ele pediu a um relojoeiro que adaptasse para uma versão de pulso.   Urna eletrônica Utilizada em vários países do mundo atualmente, a urna eletrônica foi inventada em 1989, na cidade de Brusque, Santa Catarina, pelo juíz Carlos Prudêncio. A ideia de inovar veio por conta da demora na contagem dos votos para o resultado das eleições. Importância do registro de patente das invenções Como foi visto, esses inventos foram primordiais para a sociedade em todo o mundo. Porém, nem todos tiveram o cuidado de realizar o registro de patente e garantir que a inovação não fosse copiada e remetida a outro inventor. Apesar disso, atualmente, atestar o direito de exploração exclusiva sobre uma criação pode ser ainda mais prático. A Direção Marcas [...]